1
2
3
 
 
 
Programação Musical
Início: 00:00 - Término: 04:00
» Ver toda programação
 
 
 
 
 
« Voltar



Cantora paulistana residente na cidade do Rio de Janeiro (RJ), Angélica Duarte tem formação musical erudita. Mesmo imersa no universo de óperas e concertos, a artista acabou se deixando seduzir pelo jazz e, na sequência, pela música popular.
Na MPB, a maior admiração de Angélica é Caetano Veloso, cantor, compositor e músico baiano que festejou ontem, 7 de agosto de 2018, 76 anos de vida. Tanto que a cantora até já montou show, Deixa o pagode romântico soar, com músicas (de várias fases) do repertório de Caetano.
Como desdobramento desse projeto, a cantora lança um EP, Odara, com três músicas extraídas do roteiro desse show. Programado para chegar ao mercado fonográfico a partir de 17 de agosto, o EP foi gravado, mixado e masterizado por Gui Marques com arranjos e direção musical de Pedro Franco, guitarrista que guia Angélica no passeio contemporâneo pelo cancioneiro atemporal de Caetano.Com o toque da guitarra de Pedro Franco, do baixo de Gabriel Menezes e da bateria de Lourenço Vasconcellos, Angélica Duarte dá voz a três músicas do compositor. O samba De manhã (1965), a dançante Odara (1977) e a sensual Tigresa (1977) foram as músicas escolhidas e soam elegantes no canto afinado da intérprete.
Odara, em especial, ganha outra pegada no toque do trio em gravação em que sobressai a guitarra de Pedro Franco, também proeminente em Tigresa ao lado da bateria bem marcada de Lourenço Vasconcellos.
Pedro Franco é músico que já tocou com Maria Bethânia, cantora que foi uma voz-guia para Angélica Duarte na obra de Caetano. "Conheci muito do repertório do Caetano Veloso através também das interpretações da Bethânia. De manhã é uma música de que sempre gostei. Achei importante colocá-la no show e no EP, pois se tornou uma das músicas de que mais gosto de cantar, pelo astral, pela beleza do arranjo e principalmente pela singeleza da letra", justifica Angélica.

"Esse repertório do Caetano Veloso extrai a felicidade que existe em mim. Sempre fui muito melancólica e arrastada em minhas interpretações, mas o clima, os músicos, os arranjos... tudo isso fez com que essa sonoridade vibrasse diferente. Por isso escolhi Odara para o nome do EP. Quero que essas canções tragam coisas boas para seus ouvintes, assim como trouxeram para mim", complemente a cantora, que já lançou três singles antes deste promissor EP Odara. Com informações G1. 

 
 
Acompanhe-nos através de suas redes sociais favoritas:
  
 
Nenhuma enquete ativa para exibir!