1
2
3
4
5
6
7
 
 
 
  Programação Normal
PlayList
 
 
Quero mandar um bjao e a musica,,BarreirasBrunno Carvalho p efis cordeiro lima com amor e carinho,,obrigada...
karla reis - goiania/go
28/03/2020 - 11:11
-----------------------

Gostaria de pedir para que tocassem LAUANA PRADO (VOCÊ HUMILHA)...
Beatriz - Porangatu/Goiás
01/10/2019 - 19:53
-----------------------

Quero mandar um bjao e a musica,,barreiras com cantor bunno carvalho p eginaldo amorimmcom amor e carinho,,blz...
karla reis - goiania/go
01/07/2019 - 10:18
-----------------------

Que bom ouvir a Rádio Tropical aqui tbm, essa rádio faz parte da minha vida! Todas as musicas que eu peço vcs tocam. Obg. Bjuu...
Fernanda - Rio Verde/GO
06/05/2019 - 16:13
-----------------------

Essa é a melhor Rádio da região, as musicas estão 100% melhores. A rádio do meu coração, que saudade de Porangatu!!...
Isabela - Brasília/Distrito Federal
30/01/2019 - 19:22
-----------------------

boa noite sou de Rio Verde Go gostaria muito da ajuda de vcs para reencontrar uma pessoa muito importante para mim que mora em Porangatu ela foi separada da família dela e consegui encontrar a família dela é ela voltou para Porangatu e depois perdi o contato com eles nome dela e Maria de Lourdes Lopes tem um filho hoje com média de 25 anos pelo nome de José Henrique ela era de Maurilandia Go A mãe da Maria de Lourdes se chama Sabina, tem um irmão pelo nome de Rui e outro pelo nome de Joã...
Edna Ribeiro - Rio verde/Go
09/12/2018 - 13:19
-----------------------

Rai Bom dia aqui de Goiânia ouvindo a tropical .matando saudade através de vocês. Rai admiro seu trabalho desde quando fazíamos o colegial. Parabéns.sucesso amigo. abracos pro Marcílio e toda equipe....
Andrea Cristina - Goiania/Goias
20/11/2018 - 7:50
-----------------------

------------------------

» Enviar recado

» Ver todos os recados
 
Instale grátis o RadiosNet e ouça nossa rádio  em seu celular ou tablet com Android ou no iPhone e iPads
 
 
« Voltar

Núcleo próximo do presidente defende que ele modere o tom e diminua os radicalismos.

Por Andréia Sadi- G1

 



O presidente Jair Bolsonaro foi aconselhado algumas vezes por aliados a não se envolver na campanha de 2020. Um presidente de partido ouvido pelo blog avalia que Bolsonaro estava na condição “privilegiada” de não se envolver na disputa, por não ter partido.

No entanto, mais importante do que ganhar para Bolsonaro, diz um ministro do governo, é derrotar os inimigos. No caso, João Doria (em São Paulo) e a esquerda em outras cidades.

Alguns dias antes do pleito, Bolsonaro ouviu o diagnóstico de que Celso Russomanno ia perder e que Marcelo Crivella perigava não chegar ao segundo turno, derrotado por Martha Rocha (PDT).

Rapidamente, construiu um discurso vacina: Bolsonaro sabia do risco da derrota dos aliados e, mesmo assim, se envolveu para, no futuro, dizer aos eleitores que “ele tinha avisado” se a administração que não escolheu fosse mal futuramente, como aconteceu com Wilson Witzel.

Outro argumento usado nos bastidores foi o de que Bolsonaro queria reforçar o apoio do seu eleitor evangélico — por isso, optou oficialmente por candidatos apoiados pela Igreja Universal, como Celso Russomanno (Republicanos) e Marcelo Crivella (Republicanos), para fazer um gesto.

A estratégia, no entanto, foi uma decisão pessoal do presidente e foi criticada pelos seus principais aliados políticos, que viram um erro trazer para o colo do presidente uma derrota que ele não precisava comprar.

Ocorre que, como avalia um cacique experiente de uma sigla aliada, o presidente não tem estratégia. “Quando Bolsonaro acerta, é sorte”, diz esse político.

Partidos do chamado Centrão acreditam que a relação da eleição municipal com a eleição nacional não é direta. Mas dá sinais e recados. Por exemplo: acreditam que, diferentemente de 2018, Bolsonaro não poderá contar com uma “onda” que o elegeu, com base no discurso anticorrupção — e arrastou candidatos que se vendiam como seus aliados.

Agora, será candidato à reeleição — e não venderá uma mudança, uma esperança — precisará “mostrar serviço“ dos últimos quatro anos no Palácio do Planalto, principalmente na economia. “É aquela história: menos ideologia, mais economia. É sobre administração, é trabalho manual. Não tem onda. O que será analisado será o resultado do mandato dele, o que ele fez em quatro anos, o que deixou de fazer”, diz um senador governista.

A avaliação é reforçada pelo resultado das urnas de 2020 até aqui: o eleitor mostrou que está em busca de gestão, experiência, soluções para a sua vida prática, e deixou de lado ideologias.

Por isso, o núcleo próximo de Bolsonaro defende que ele modere o tom e diminua os radicalismos: acham que, mesmo se ele acertar na economia, seu perfil de ataques e agressões vitamina adversários competitivos para 2022, de centro ou de direita, o que pode atrapalhar sua reeleição pois racharia sua base.

Alguns assessores presidenciais acreditam que Bolsonaro terá de se voltar cada vez mais à política tradicional, ao Centrão — também vitorioso nas urnas neste domingo — já que o presidente não será um candidato antipolítica em 2022. Mas, principalmente, resolver os gargalos da economia, para chegar favorito ao pleito presidencial e não abrir espaço para alternativas na cabeça do eleitor.

Ou seja: mostrar gestão, resolver a economia, focar na administração e trabalho — e deixar para os apoiadores radicais a retórica.

 

VÍDEOS: Veja os comentários de Andréia Sadi

 
 
Acompanhe-nos através de suas redes sociais favoritas:
    
 
01   ELE É ELE, EU SOU EU
Wesley Safadaão feat Barões da Pisadinha
02   CORAÇÃO NA CAMA
Hugo e Guilherme
03   LANCE INDIVIDUAL
Gorge e Mateus
04   É SO BOTADA
MC Levin
05   SÓ TEM EU
Zé Felipe
06   ALIVE
Alok
07   ESSES VÍCIOS
Zé Neto e Cristiano
08   LETÍCIA
Zé Vaqueiro
09   AMOR DA DESPEDIDA
Barões da Pisadinha
10   HACKEARAM-ME
Tierry feat Marília Mendonça
 
Nenhuma enquete ativa para exibir!