1
2
3
4
5
 
 
 
Máquina do Tempo
Início: 14:00 - Término: 16:00
» Ver toda programação
 
 
 
 
« Voltar



A Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), da Polícia Civil do Paraná, apreendeu, no ano passado, mais de 68 toneladas de drogas, entre maconha, cocaína, crack, haxixe, ecstasy, LSD e lança-perfume. A quantidade, comparada com o mesmo período de 2016, aumentou 61% em todo Estado. Para o delegado-geral da Polícia Civil, Julio Reis, o fato da Denarc estar atuando entre diversos núcleos estabelecidos no Interior e Capital tem sido fundamental para o sucesso das apreensões.

A Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), da Polícia Civil do Paraná, apreendeu, no ano passado, mais de 68 toneladas de drogas, entre maconha, cocaína, crack, haxixe, ecstasy, LSD e lança-perfume. A quantidade, comparada com o mesmo período de 2016, aumentou 61% em todo Estado.

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Julio Reis, o fato da Denarc estar atuando entre diversos núcleos estabelecidos no Interior e Capital tem sido fundamental para o sucesso das apreensões. “A qualificação dos policiais que atuam nessas unidades, somado a eventuais trabalhos conjuntos com outros órgãos, tem sido outro fator que agrega no resultado”, disse.

De acordo com o delegado-titular da Denarc, Riad Braga Farhat, os números mostram a forte atuação da polícia contra o narcotráfico. “Atuamos no combate aos traficantes de médio e grande porte para tirá-los de circulação e evitar que grandes quantidades de drogas entrem nas cidades”, afirmou.

O delegado falou também que os trabalhos policiais atuam ainda de maneira sistemática nos pontos de venda, as chamadas biqueiras, para dificultar o comércio nas ruas e tirar de circulação pequenos traficantes, que são os principais responsáveis pelos crimes de homicídio.

No combate ao narcotráfico, a polícia também coíbe outros tipos de crimes. “Por trás do tráfico, há uma infinidade de delitos, como crimes contra o patrimônio e homicídios, o que significa que, indiretamente, combatemos outras infrações penais”, acrescenta.

BALANÇO – O maior volume de apreensão em 2017 foi o de maconha, que ultrapassa 67 toneladas em todo o Estado, seguido de cocaína: 394 quilos, crack: 136 quilos; e haxixe: 38 quilos, além de 13.870 pontos de LSD, 5.406 comprimidos de ecstasy e 22 frascos de lança-perfume.

AÇÕES – Em 2017, a Denarc realizou centenas de operações policiais, resultando na prisão de 445 pessoas por envolvimento com o tráfico de drogas pelos núcleos de Curitiba e região metropolitana, Foz do Iguaçu, Londrina, Cascavel, Maringá e Pato Branco, além da apreensão de mais de 94 armas e 217 veículos. A utilização de cães farejadores também contribuiu com o êxito de outras ações policiais.

DADOS POR NÚCLEO DA DENARC EM 2017:
CURITIBA – 1.403,50 quilos de maconha. 2,23 quilos de cocaína. 2,75 quilos de crack. 5. 396 comprimidos de ecstasy. 7.759 pontos de LSD.

REGIÃO METROPOLITANA – 1.277,03 quilos de maconha. 1,13 quilo de cocaína. 6.106 pontos de LSD.

FOZ DO IGUAÇU – 171,56 quilos de maconha. 23,80 quilos de haxixe. 161,21 quilos de cocaína. 1,04 quilo de crack.

LONDRINA – 1.327,42 quilos de maconha. 17,83 quilos de cocaína. 10,69 quilos de crack.

CASCAVEL: 16.632,74 quilos de maconha. 2 quilos de haxixe. 9,05 quilos de cocaína. 99,59 quilos de crack.

MARINGÁ: 41.225,82 quilos de maconha. 12,11 quilos de haxixe. 2,04 quilos de cocaína. 10,42 quilos de crack.

PATO BRANCO: 5.766,74 quilos de maconha. 201,43 quilos de cocaína. 12,05 quilos de crack. Com informações Bem Paraná.

 
publicidade lateral
 
Acompanhe-nos através de suas redes sociais favoritas:
  
 
Nenhuma enquete ativa para exibir!
 
 
publicidade lateral